Projeto multidisciplinar de píer e edificação em concreto armado executado em BIM

Sumário

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
  1. O que são os concursos estudantis que o IBRACON? 

O IBRACON (Instituto Brasileiro de Concreto) organiza anualmente um congresso com o objetivo de divulgar novidades em termos de pesquisa científica, tecnologia e inovações, nos âmbitos de projeto estrutural, metodologia construtiva, materiais de construção e propriedade dos materiais.

O congresso além de expor e fomentar as novidades tem também como objetivo aproximar o universo acadêmico com o mundo profissional do setor da construção civil, portanto conta ainda com empresas e palestras do ramo.

Atualmente o congresso conta com sete concursos estudantis, onde por meio de uma equipe, alunos das mais diversas áreas que possuem relação com a construção civil podem participar.

  1. Qual foi a proposta do projeto vencedor?

O projeto vencedor, na categoria “Ousadia”, sendo esta categoria a que visa desafiar os estudantes a realizar um projeto de arquitetura e engenharia em um ponto específico da cidade na qual o congresso será sediado.

Em 2020, a situação apresentada se passou na cidade de Florianópolis – SC, no Complexo dos Coqueiros, onde a equipe deveria revitalizar o parque e inserir duas novas estruturas.


Figura 1: Parque atual

  • Edificação:

O primeiro elemento a ser introduzido era o de edificação, sendo uma estrutura que comportasse: lojas e restaurantes.

Esse projeto deveria respeitar o limite de construção com uma área de 100m², o projeto apresentado pela equipe optou por uma estrutura retangular, lançada ao terreno sendo 50m x 20m, sendo as 4 faces abertas visando o contato com o parque.

Figura 2: Vista humanizada – Edificação

Ademais, para vencer o vão principal de 50m, foi utilizado um arco em cada lado, os quais sustentam a cobertura composta por uma grelha e uma laje.

A estrutura inferior, o piso, foi feito em laje com as sustentações mais internas, deixando suas extremidades em balanço, criando uma sensação de leveza.

Figura 3: Modelagem, deslocamento global e taxa de armadura – SCIA ENGINEER

Figura 4: Forma e  Armaçoes – ALLPLAN

  • Píer Fixo:

Tendo como propósito fomentar o transporte marítimo, foi criado a estrutura de um píer fixo que entra 180 metros dentro do mar.


Figura 5: Vista humanizada – Píer Fixo

Por ser uma estrutura muito grande, visando a viabilidade da construção, a equipe se preocupou com a vivência no píer, optando por uma estrutura larga com 6 metros e um mirante em balanço.

Com o objetivo de oferecer uma área confortável de vivência, foi projetado um píer flutuante no meio do caminho, que permite que as pessoas percorram sobre ele.


Figura 6: Detalhamento da Estrutura – ALLPLAN

  1. Quais foram os desafios do projeto vencedor?

Podem-se mencionar dois desafios que foram relevantes ao projeto, o primeiro em relação ao Teor de complexidade do Píer que por conta da maré, do efeito de ressaca, tem algumas ações ascendentes que trouxeram uma complexidade que o grupo nunca tinha visto antes e foi muito desafiador. Foi feita toda análise de deslocamento global para o grupo conseguir chegar enfim na modelagem, o pessoal da arquitetura trabalhando no Revit, e o pessoal da engenharia dando continuidade, utilizando o Allplan Engineering para fazer toda a parte de detalhamento. 

Figura 7: Disposição das Reações e Detalhamento da Estrutura – ALLPLAN

O segundo desafio foi em relação ao tempo. O grupo tinha de 4 a 5 meses para entregar o projeto, conciliando com a graduação foi considerado um dos pontos mais difíceis de lidar no desenvolvimento.

  1. Benefícios do método utilizado (fluxo de trabalho BIM, softwares e suporte BIMWORKS)?

No início do projeto um dos objetivos da equipe era reformular a utilização de softwares e trazer mais eficiência nesse aspecto, a opção mais sábia seria incorporar softwares BIM, utilizando arquivos neutros e a interoperabilidade e compartilhamento de informação entre os softwares das diversas disciplinas. O pessoal da arquitetura estavam adaptados ao uso do Revit, o que já ajudava bastante no projeto, mas os da engenharia não estavam conseguindo incorporar tão bem assim softwares, especialmente softwares BIM. 

Incorporar softwares BIM era um grande objetivo, logo antes mesmo de sair o edital do concurso o grupo teve o primeiro contato com a BIMWORKS e foi realmente uma parceria que fez toda diferença e que favoreceu bastante.

 Normalmente é corrido o tempo para fazer o projeto e a utilização eficiente desse tempo faz toda diferença, com a inserção de softwares que fazem isso de forma eficaz eles puderam ter essa tranquilidade. 

No final do projeto em 2019 um dos pontos que a equipe sabia que tinha que melhorar era essa questão de eficiência, como eles lidavam com os softwares e como lidavam com algumas partes mais manuais do projeto como por exemplo o detalhamento.

O SCIA era um software que eles já conheciam, já tinham tido alguns treinamentos em alguns eventos e um contato com o suporte que se mostrou muito eficiente, como na semana de engenharia e outros, então por parte principalmente da equipe de engenharia, que eram os que mais lidavam com projeto estrutural, o grupo já tinha essa proximidade. 

Já o Allplan era totalmente novo, mas o que eles precisavam realmente era uma maneira mais eficiente de fazer o detalhamento.

Em 2019 a equipe teve muitas idas e vindas no projeto e muitas mudanças da estrutura, então eles ficaram muito tempo atualizando detalhamento, sabiam que precisavam fazer essa parte de uma maneira mais eficiente, então o Allplan foi uma primeira possibilidade que apareceu para eles. 

Com a utilização o grupo acabou se apaixonando e viu que o Allplan traz um nível de eficiência muito grande, eles acreditam que utiliza-lo foi uma decisão puxada um pouco pela familiaridade que possuíam com o SCIA, mas acabaram ficando bem próximos de ambos os softwares e ambos acabaram ajudando muito.

Trabalhar com o BIM na prática fez toda diferença, se tomarmos como referência o ano de 2020, que aconteceu o projeto, a equipe não estava presente presencialmente. 

Eles começaram o projeto e logo na primeira, segunda semana, que tinham feito apenas uma reunião, já começou a pandemia. 

Acabaram ficando remotos, e por não estarem na mesma sala realizando o projeto, e não terem a chance de estar próximos, todas essas confirmações de pequenos detalhes do projeto teriam sido muito mais difíceis de acontecer se o compartilhamento de informações não fossem feitos através desses softwares BIM. 

Então eles ajudaram bastante também o grupo nesse compartilhamento, uma vez que você tem uma eficiência muito mais alavancada com eles, fez toda diferença nesse sentido e especialmente nesse ambiente remoto foi algo que foi imprescindível pra equipe.

  1.  Quais tipos de conhecimentos foram agregados com a participação no concurso, como foi conciliar o concurso com a graduação?

Muitos conhecimentos foram agregados com a participação no concurso. A grandiosidade e amplo escopo do projeto possibilitaram a multidisciplinariedade nunca vivenciada anteriormente através da integração de diferentes áreas de estudo. São exemplos: projeto arquitetônico, estudo do entorno, acessibilidade, sustentabilidade, cálculo e detalhamento estrutural, métodos construtivos, durabilidade, viabilidade econômica, etc.

O projeto permitiu à equipe vivenciar o BIM na prática, aprendendo novos softwares, por meio da utilização e interoperabilidade entre eles. Eles utilizaram o Revit para projeto arquitetônico, SCIA Engineer para modelagem, cálculo, dimensionamento e análise estrutural e ALLPLAN Engineering para detalhamento de estruturas de concreto armado.

O estudante também pontuou o fato de a equipe possuir 15 estudantes de engenharia e arquitetura em vários níveis da graduação, com pontos de vista e vivências diferentes. Essa diversidade permitiu uma rica troca de experiências e transferência de conhecimento entre eles. Além disso, a participação no concurso gerou notoriedade e reconhecimento no meio de patrocinadores, que são empresas referências nas áreas de engenharia civil e arquitetura, favorecendo a inserção dos estudantes no mercado de trabalho. 

O tempo foi um desafio para os alunos. Foi possível conciliar o projeto com a faculdade, pois todos priorizavam as atividades acadêmicas e possuíam acordo prévio para organização de reuniões e atividades, considerando o cronograma da universidade. Assim sendo, eles dedicavam maior tempo durante as férias e feriados, somados à motivação e ao interesse comum com a evolução do trabalho. 

  1. Pontos fundamentais para vencerem o concurso.

A postura e a organização da equipe foram essenciais para a vitória. A estratégia adotada foi a especialização da equipe em áreas profissionais (arquitetura, estrutura, métodos construtivos, sustentabilidade, etc.), de acordo com a capacidade e familiaridade de cada um, de modo a tornar o trabalho mais eficiente.

A utilização dos softwares contribuiu para a qualidade do projeto, principalmente o ALLPLAN, que gerou um detalhamento mais eficiente, poupando bastante tempo em comparação ao método manual, segundo Márcio. A equipe realizou o treinamento do software e contou com o suporte da BIM WORKS durante o projeto.

Assim como no concurso, a utilização do fluxo de trabalho BIM agrega valor ao trabalho, fazendo com que o profissional se destaque no mercado cada vez mais competitivo. Além de garantir mais qualidade ao projeto, implica mais produtividade, redução dos custos e de problemas na execução, entre outros impactos.


Figura 8: Fluxo de trabalho BIM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar um artigo
Receba conteúdos exclusivos

Cadastre-se para receber notícias em primeira mão

Categorias
contato

Fale com um especialista

Como podemos ajudar você?

Buscar